Sexta-feira, 19 de Setembro de 2008

Blog da semana: “Do Capitalismo para o Digitalismo”

Pode um blog ser mais do que um blog? Ou menos? Pode um livro ser um blog, ou um blog ser um livro? A estas perguntas, respostas na morada digital-ismo.blogspot.com.

O que lá se encontra? Encontra-se, na palavras dos autores, Fernando Penim Redondo e Maria Rosa Redondo, “Um blogue que é um livro. O livro, publicado em Novembro 2003, tornou-se blogue em Julho 2008”.

A história é mesmo essa: os dois autores publicaram em 2003, na editora Campo das Letras, o livro “Do Capitalismo para o Digitalismo”, uma obra de estudo e análise sobre a relação entre o o desenvolvimento da tecnologia e a forma como isso altera as relações de trabalho, salariais, sociais, pelo menos à luz dos velhos conceitos do marxismo.

Ora bem, cinco anos depois da publicação do livro em papel, os autores entenderam que eram tempo de disponibilizar a obra. Para tal, passaram o livro a blog, mantendo aliás coerência com algo que defendem: “Se a informação e o conhecimento se tornaram a chave do progresso em consequência da revolução digital e estão a moldar uma sociedade nova então, devemos tentar influenciar os seus contornos e potencialidades”.

Organizado em capítulos, com links para ser mais fácil percorrer toda a obra, “Do Capitalismo para o Digitalismo” em versão blog é uma outra forma de partilhar o conhecimento, e deixar a reflexão sobre estas matérias: “desvendar os mecanismos que, insensivelmente mas de forma imparável, actuam ao nível das relações de produção no sentido de superar, para o bem ou para o mal, a sociedade capitalista em que todos nascemos”, “mostrar por que razão o trabalho assalariado, quase sempre repetitivo, atravessa uma profunda crise que as pessoas e as instituições tardam em reconhecer”.

Os autores não escondem a sua ligação ao Partido Comunista, mas para o caso isso é irrelevante. O blog é a minha escolha da semana justamente pela ideia que transporta em si – e da que neste universo da blogoesfera tudo, mesmo tudo é possível. Até transformar um livro que existe em papel numa realidade virtual ao alcance de todos – e com isso trocar os ganhos da autoria em ganhos de expansão e divulgação de causas, ideias, politicas. Tudo tem um preço – e neste caso, certamente que compensa.

publicado por PRD às 19:19
link do post | comentar
1 comentário:
De Leitor Discreto a 23 de Setembro de 2008 às 15:18
Se me for permitida a sugestão aqui fica - http://cathedralsquare.blogspot.com/.


Comentar post

PRD

Pesquisar blog

 
Estes textos são escritos para serem “falados”, ou “lidos”, pelo que não só têm algumas marca de oralidade (evidentemente, propositadas...) como é meu hábito improvisar um pouco “em cima deles” no momento em que gravo a rubrica. Também é relevante dizer que, dado tratar-se de uma “revista de blog’s” – e uma vez que os blog’s não se preocupam com a oralidade ou com a eventual citação lida dos seus textos -, tomo a liberdade de editar minimamente os textos que selecciono. Faço-o apenas para que, em rádio, não se perca a ideia do blogger pelo facto de escrever frases longas e muito entrecortadas. Da mesma forma, não reproduzo palavrões nem frases pessoalmente ofensivas, assim como evito acusações cuja possibilidade de prova é diminuta ou inexistente. Sendo uma humilde crónica de rádio, tinha ainda assim de ter alguns princípios. São estes. Quem tiver razão de queixa, não hesite!

Textos recentes

...

Blog da Semana: As Penas ...

Outra vez o casamento ent...

Em dia

Lhasa de Sela

O ritual de Cavaco

2010

Blog do Ano 2009: O Alfai...

O ano 2009 - II

O ano 2009 - I

Arquivos

Outubro 2011

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favorito

Leituras de sábado

Declaração de voto

Seis anos já cá cantam.

Na melhor revolução cai a...

Subscrever feeds