Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2008

Jackpot

Estava já lançada a polémica quando o semanário “Expresso” foi um pouco mais à frente e revelou as pressões e soluções da sociedade Estoril-Sol para que o Governo Santana oferecesse um Casino, o Casino Lisboa... Começamos a habituar-nos de tal forma a esta maneira airosa de estar na politica que até a blogesfera não chega a indignar-se. E até consigo começar por citar quem desculpabiliza o cenário traçado:
“Toda esta história de um casino que paga por um edifício para depois o devolver ao Estado, parece-me uma daquelas bizarrias só possíveis num país neo-socialista”, escreve Paulo Pinto Mascarenhas no blog da revista Atlântico, para acrescentar: “O Estado não deveria ser concessionário de casinos. (...) O problema não é do capitalismo, mas do socialismo constitucional em que vivemos”.
João Gonçalves, no blog Portugal dos Pequeninos, acha que “a "história" do casino passa por todos. Desde o governo de Lopes até ao amável dr. Sampaio que promulgou o diploma (...). O dr. Assis Ferreira conhece a venalidade do regime independentemente de quem está no poder. Não é por acaso que administra casinos. É amigo de todos e todos são amigos dele”.
Nesta busca por opiniões diversas encontro Tiago Barbosa Ribeiro no blog Contratempos, que afirma: “O governo de Santana Lopes mudou a lei do jogo a pedido da Estoril-Sol. Em carta enviada ao esquecível Telmo Correia, cujo zénite político foi a assinatura de 300 despachos quando já tinha sido despedido pelos portugueses, a empresa considerou que a alteração proposta seria «insusceptível de ser interpretada como relacionável com a clarificação da situação concreta». Isto, meus caros, podia dar um prémio de retórica. Saiu-lhes apenas um casino, coitados”.

João Severino, no blog Pau para toda a Obra, recorda outro casos para chegar ao mesmo ponto: “No caso que vier a suceder aos casos dos sobreiros, dos submarinos, dos todo-o-terreno militares, dos helicópteros, das fotocópias pela calada da noite, dos despachos pela calada da madrugada (...) e da Estoril-Sol... no caso que vier a suceder a esses e mais àqueles que devo estar a esquecer-me (...), assumam de frente a borrada que fizeram. Ao menos, digam só que não sabiam que era borrada”.
J. Ricardo, no blog Res Civita, afirma que só lhe ocorre a palavra falcatrua: “Esta palavra, de origem decerto popular, não implica necessariamente um significado que comporte uma ilegalidade declarada. Um sujeito falcatrueiro é um chico-esperto. Dois sujeitos falcatrueiros são dois chicos-espertos”.
Pois são. Dois ou mais. Esta história ainda vai no começo, mesmo que nunca chegue ao fim. Como tantas, não é?

publicado por PRD às 18:46
link do post | comentar

PRD

Pesquisar blog

 
Estes textos são escritos para serem “falados”, ou “lidos”, pelo que não só têm algumas marca de oralidade (evidentemente, propositadas...) como é meu hábito improvisar um pouco “em cima deles” no momento em que gravo a rubrica. Também é relevante dizer que, dado tratar-se de uma “revista de blog’s” – e uma vez que os blog’s não se preocupam com a oralidade ou com a eventual citação lida dos seus textos -, tomo a liberdade de editar minimamente os textos que selecciono. Faço-o apenas para que, em rádio, não se perca a ideia do blogger pelo facto de escrever frases longas e muito entrecortadas. Da mesma forma, não reproduzo palavrões nem frases pessoalmente ofensivas, assim como evito acusações cuja possibilidade de prova é diminuta ou inexistente. Sendo uma humilde crónica de rádio, tinha ainda assim de ter alguns princípios. São estes. Quem tiver razão de queixa, não hesite!

Textos recentes

...

Blog da Semana: As Penas ...

Outra vez o casamento ent...

Em dia

Lhasa de Sela

O ritual de Cavaco

2010

Blog do Ano 2009: O Alfai...

O ano 2009 - II

O ano 2009 - I

Arquivos

Outubro 2011

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favorito

Leituras de sábado

Declaração de voto

Seis anos já cá cantam.

Na melhor revolução cai a...

Subscrever feeds