Quinta-feira, 7 de Janeiro de 2010

Outra vez o casamento entre pessoas do mesmo sexo...

É incontornável voltar ao casamento entre pessoas do mesmo sexo – a lei chega amanhã ao Parlamento, vai ao mesmo tempo ser debatida e votada uma petição para um referendo. E na blogoesfera os ânimos agitam-se e escaldam. No blog Jugular, Isabel Moreira irrita-se: “Cada vez que se lê uma piadola no 31 da armada, eu agradeço. Porque me recordo que há uma razão essencial para acabar com a homofobia legal. É que a homofobia existe. E cabe à lei, no caso de discriminações injustificadas, dar o sinal à sociedade, esse sinal que se chama inclusão. Se a lei vier a ser promulgada, o Estado deixa de estar ao nível da ofensa gratuita que as palavras do Manuel Castelo-Branco encerram. E como essas, tantas que foram escritas no 31 da Armada, com as caixas de comentários devidamente escancaradas e permissivas a todo o tipo de insulto pessoal, à homofobia mais furiosa”.

Manuel Castelo-Branco responde:  “O seu post insultuoso, fundamentalista e quase histérico é típico dos cristão novos que tanto querem renegar o seu "legacy" ou a sua herança, que se tornam mais "papistas que o papa". O mesmo aconteceu recentemente na administração Bush com os neo cons, com os resultados que se viu. (...) O seu problema Isabel, é uma total falta de humor, e curiosamente uma enorme dificuldade em entender a diferença e viver com ela. A vida é feita de humor e os blogs de provocação, mas para si a vida é tão séria e cinzenta que deve ser uma chatice Deve-se viver com alguma capacidade de encaixe, que a Isabel parece não tem”. Paulo Pinto Mascarenhas junta-se, no ABC do PPM, e acha que Isabel Moreira “não parece entender é que a sua opinião é a mais homofóbica das opiniões: nunca ninguém se lembrou de pedir aos heterossexuais que assumam seja o que for”.

Isto é polémica – e deixo o exemplo avulso para se perceber como os ânimos podem aquecer e ferver. Mas também há quem mantenha a compostura. Por exemplo, João Pinho de Almeida, deputado do CDS, no blog Da Ultima Fila: “Para enquadrar a posição que já manifestei sobre o casamento e a adopção por pessoas do mesmo sexo, deixo aqui um excerto da minha declaração de voto na Revisão Constituicional de 2004”. E deixa mesmo, manifestando que " todo o debate relativo a direitos dos homossexuais deixa de fazer sentido, uma vez que estes, como os heterossexuais não têm direitos e deveres em função da sua orientação sexual mas em função da sua condição de cidadãos.". Michael Seufert, no mesmo blog: “Tem sido muito assim no passado: aborto, casamento, eutanásia... Parece que estes temas voltam sempre que o país menos precisa deles, e se substituem na agenda política e mediática ao desemprego, à dívida pública ou ao estado da justiça”.

No meio, entre quem discute de forma acesa e quem se mantém no patamar do debate meridiano, encontro Pedro Santana Lopes: “É lamentável que determinados Partidos ignorem uma petição de mais de 90.000 pessoas para que se realize um referendo sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Só vale essa vontade quando é paraa interrupção voluntária da gravidez?”

É assim que o tema anda – entre a exaltação, a calma e o protesto com algum sentido...

 

publicado por PRD às 02:44
link do post | comentar
4 comentários:
De aumento seno a 8 de Junho de 2010 às 08:08
seu blog é muito bom! Eu não leio Português bem, mas eu amo o que você escreve!


De grande pene a 24 de Agosto de 2010 às 15:05
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em seu blog que bom!


De allungamento del pene a 3 de Fevereiro de 2011 às 14:52
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou estudando Português, eu não consigo entender tudo, mas quase! ;)


De tapas a 3 de Fevereiro de 2011 às 15:49
Olá, estou a estudar Português e eu aconteceram em seu blog que bom!


Comentar post

PRD

Pesquisar blog

 
Estes textos são escritos para serem “falados”, ou “lidos”, pelo que não só têm algumas marca de oralidade (evidentemente, propositadas...) como é meu hábito improvisar um pouco “em cima deles” no momento em que gravo a rubrica. Também é relevante dizer que, dado tratar-se de uma “revista de blog’s” – e uma vez que os blog’s não se preocupam com a oralidade ou com a eventual citação lida dos seus textos -, tomo a liberdade de editar minimamente os textos que selecciono. Faço-o apenas para que, em rádio, não se perca a ideia do blogger pelo facto de escrever frases longas e muito entrecortadas. Da mesma forma, não reproduzo palavrões nem frases pessoalmente ofensivas, assim como evito acusações cuja possibilidade de prova é diminuta ou inexistente. Sendo uma humilde crónica de rádio, tinha ainda assim de ter alguns princípios. São estes. Quem tiver razão de queixa, não hesite!

Textos recentes

...

Blog da Semana: As Penas ...

Outra vez o casamento ent...

Em dia

Lhasa de Sela

O ritual de Cavaco

2010

Blog do Ano 2009: O Alfai...

O ano 2009 - II

O ano 2009 - I

Arquivos

Outubro 2011

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favorito

Declaração de voto

Seis anos já cá cantam.

Na melhor revolução cai a...

Subscrever feeds