Quinta-feira, 3 de Dezembro de 2009

Os minaretes suiços

É a polémica do momento: o referendo na Suíça que aprovou a proibição dos minaretes nas mesquitas dos muçulmanos. Na Suíça bastam 100 mil assinaturas para convocar um referendo e lá se juntaram dois partidos para a fazer. O resultado foi claro: 57,5 por cento dos suíços disseram "sim" à introdução da frase "a construção de minaretes é proibida" no artigo da Constituição que fala das relações entre o Estado e as religiões.

A blogoesfera agita-se, claro. Tiago Loureiro no blog Golpe de Estado diz que “A custo” tenta perceber “a razoabilidade do referendo suíço sobre os minaretes e, mais ainda, o seu resultado. Referendar um pormenor que não passa disso mesmo e, como consequência, proibir a construção de algo que outra função não tem que não seja meramente simbólica, parece brincar com o fogo com uma enorme vontade de se queimar. (...) Com recurso a um mínimo de bom senso, toda a gente percebe que os minaretes não representam qualquer espécie de ameaça. Proibi-los, mais não faz do que dar motivos para as virgens lá do oriente se sentirem ofendidas a troco de coisa nenhuma”. Tiago Moreira Ramalho no Corta Fitas acha que os minaretes são apenas uma ponta do iceberg: “o que foi referendado foram as senhoras de burka, foram os fundamentalistas do médio oriente, foi o 11 de Setembro e tudo isso que associamos ao islamismo”.

À direita, Rui Crull Tabosa no 31 da Armada escreve com ironia que “É evidente que os referendos são perigosos porque podem dar o resultado errado e não há margem para recuos. Entre nós, por exemplo, foi péssimo quando venceu o Não ao aborto, mas, pelo contrário, foi óptimo quando o Sim ganhou... (...) Em todo o caso, este disparate democrático dos suiços tem solução simples e a rapaziada cá da terra pode sugeri-lo às autoridades suiças: é só repetir o referendo tantas vezes quantas as necessárias para que o resultado dê certo... É um aborto de ideia mas resulta sempre”.

Claro que também encontro análises sensatas, ponderadas, inteligentes: “A liberdade depende da escala”, escreveu João Miranda: “A liberdade de construir minaretes em todas as terrinhas da Suiça é uma microliberdade. A liberdade de construir minaretes na Europa, mas não necessariamente em todos os países europeus, é uma macroliberdade.

As microliberdades são incompatíveis com as macroliberdades. (...) É natural que os suiços estejam divididos. Uns gostariam de viver num país mais multicultural, outros gostariam de continuar a viver na Suiça tal como a conheceram no passado. Dentro da Suiça, o conflito é entre mais microliberdade e menos microliberdade”.

Resta lembrar, como bem faz Daniel Oliveira, que este referendo resulta do facto de haver uma mesquita em construção para a qual se previa o tal minarete. Diz Daniel: “A decisão não resulta de um problema real – há apenas quatro minaretes num total de 180 mesquitas em todo o país -, mas de uma xenofobia profunda”.

Xenofobia ou não, um referendo é um instrumento da democracia, lá está, tem os seus custos - mesmo que fique neste episódio o “aviso para os perigos de referendos que dão à maioria o poder de limitar os direitos de uma minoria”.

publicado por PRD às 01:24
link do post | comentar

PRD

Pesquisar blog

 
Estes textos são escritos para serem “falados”, ou “lidos”, pelo que não só têm algumas marca de oralidade (evidentemente, propositadas...) como é meu hábito improvisar um pouco “em cima deles” no momento em que gravo a rubrica. Também é relevante dizer que, dado tratar-se de uma “revista de blog’s” – e uma vez que os blog’s não se preocupam com a oralidade ou com a eventual citação lida dos seus textos -, tomo a liberdade de editar minimamente os textos que selecciono. Faço-o apenas para que, em rádio, não se perca a ideia do blogger pelo facto de escrever frases longas e muito entrecortadas. Da mesma forma, não reproduzo palavrões nem frases pessoalmente ofensivas, assim como evito acusações cuja possibilidade de prova é diminuta ou inexistente. Sendo uma humilde crónica de rádio, tinha ainda assim de ter alguns princípios. São estes. Quem tiver razão de queixa, não hesite!

Textos recentes

...

Blog da Semana: As Penas ...

Outra vez o casamento ent...

Em dia

Lhasa de Sela

O ritual de Cavaco

2010

Blog do Ano 2009: O Alfai...

O ano 2009 - II

O ano 2009 - I

Arquivos

Outubro 2011

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favorito

Leituras de sábado

Declaração de voto

Seis anos já cá cantam.

Na melhor revolução cai a...

Subscrever feeds