Segunda-feira, 12 de Outubro de 2009

Ciclo acabado

Pronto, está acabado o ciclo da berraria e do debate – agora é como os políticos gostam de dizer: mãos à obra. O balanço da noite de ontem não é fácil de fazer – porque houve surpresas, muitas indecisões, e não se pode falar de uma tendência. Lembro-me de ouvir meio-mundo lamentar o facto de autarcas a braços com problemas de justiça serem sempre reeleitos, ontem isso não aconteceu, como bem notou José Teófilo Duarte no Blog Operatório: “Felgueiras viu-se livre de Fátima. Marco de Canavezes mandou o Avelino às urtigas. Narciso de Matosinhos também recebeu uma lição. Nem todos os acusados e condenados pela Justiça são aplaudidos pelos eleitores”. Claro que ficaram, como ele próprio escreve, “os isaltinos e loureiros desta vida” – mas já é um passo.

Olhando notas soltas que encontro no mundo dos blogues, sublinho Miguel Marujo, no Cibetulia, quando escreve que “a CDU perdeu por culpa da direita que votou nas "políticas de direita do PS".

No Insurgente, Maria João Marques tenta pesar os votos do PS e os mandatos do PSD; “Estas autárquicas foram, como se esperava, favoráveis ao PSD que, justamente, pode reclamar vitória. No entanto o PS teve uma recuperação face aos resultados de 2005. Um sinal que deverá alarmar os que apostam num PSD autárquico. (...) Se o partido estiver entregue a herdeiros de Luís Filipe Menezes arrisca-se a terminar sem relevante expressão nacional ou local”.

O grande derrotado da noite, escreve André Azevedo Alves, foi o Bloco de Esquerda. Esta ideia é transversal a muitos blogues, mas claro que me interessava ver o que escreveria o militante do Bloco Daniel Oliveira no Arrastão. E escreveu que esta derrota exige “uma reflexão sobre a inflexibilidade de uma determinada estratégia. Os eleitores do Bloco foram claros no seu veredicto (...). Veremos se a direcção do Bloco tira alguma conclusão do que foi dito pelo voto”.

A outra derrota, de Santana Lopes, tem olhares diferentes. Destaco uma só, pela sua profundidade. No 5 Dias, Bruno Sena Martins acha que “As derrotas têm pouco poder de dissuasão em casos como o de Santana Lopes. Mais do que exercer os cargos a que se candidata, Santana Lopes gosta de se ver ao espelho na solenidade que eles conferem (...). Se acaso o poder lhe foge – o que tem acontecido e não por acaso – permanece nele o gozo pelo ritual político: pelos debates, pelas sondagens, pelas noites eleitorais e, claro, o gozo pela atenção mediática”. Por isso o Bruno acha que Santana “não vai aguentar tanto tempo sem ir a votos. Sporting, PSD, condomínio: tudo boas hipóteses”.

Já para os lados da ironia, encontro Leididi no Blog do Desassossego que perto das 11 da noite tinha retido pouco da noite eleitoral:

“- António Pica Terreno (perdeu Barrancos)
- José Pós-de-Mina (Moura)
- Esmeraldo Carvalhinho (Manteigas)
- João Penetra (Alvito)
- Norberto Patinho (Portel)
- Francisco Orelha (Cuba)
- Os óculos do Pedro Abrunhosa”.

Pedro Correia, no Delito de Opinião, preferiu catar frases da noite:

"Isaltino Morais é um excelente autarca.", disse José Pacheco Pereira na SIC

"Apesar desta derrota, sinto-me hoje muito vitoriosa", disse Elisa Ferreira, candidata derrotada no Porto

"Os resultados das autárquicas são resultados dos autarcas", disse Luís Filipe Menezes, candidato vencedor em Gaia.

E agora fiquem os autarcas com as autarquias e lá está: mãos à obra.

publicado por PRD às 03:24
link do post | comentar

PRD

Pesquisar blog

 
Estes textos são escritos para serem “falados”, ou “lidos”, pelo que não só têm algumas marca de oralidade (evidentemente, propositadas...) como é meu hábito improvisar um pouco “em cima deles” no momento em que gravo a rubrica. Também é relevante dizer que, dado tratar-se de uma “revista de blog’s” – e uma vez que os blog’s não se preocupam com a oralidade ou com a eventual citação lida dos seus textos -, tomo a liberdade de editar minimamente os textos que selecciono. Faço-o apenas para que, em rádio, não se perca a ideia do blogger pelo facto de escrever frases longas e muito entrecortadas. Da mesma forma, não reproduzo palavrões nem frases pessoalmente ofensivas, assim como evito acusações cuja possibilidade de prova é diminuta ou inexistente. Sendo uma humilde crónica de rádio, tinha ainda assim de ter alguns princípios. São estes. Quem tiver razão de queixa, não hesite!

Textos recentes

...

Blog da Semana: As Penas ...

Outra vez o casamento ent...

Em dia

Lhasa de Sela

O ritual de Cavaco

2010

Blog do Ano 2009: O Alfai...

O ano 2009 - II

O ano 2009 - I

Arquivos

Outubro 2011

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favorito

Leituras de sábado

Declaração de voto

Seis anos já cá cantam.

Na melhor revolução cai a...

Subscrever feeds