Terça-feira, 8 de Setembro de 2009

Debates (I)

O mundo dos blogues vira-se para a campanha eleitoral, em rigor o que mexe na campanha, que são apesar de tudo os debates televisivos. O modelo dos debates é o que se conhece, e acabamos por ir compondo o puzzle das opiniões e propostas apenas se conseguirmos ver todos os confrontos. Rui Bebiano, por exemplo, no blog Terceira Noite, deve ter adormecido no encontro entre Francisco Louçã e Jerónimo de Sousa, que chamou de “aborrecido pseudo-debate televisivo”. Zé Neves, no Cinco Dias, achou que especificamente este debate à esquerda “trouxe à cena um novo eleitor”, “uma nova diferença, uma terceira margem”.

Nessa terceira margem está Francisco Louçã, que Joana Carvalho Dias, no Hole Horror, descreve: “é um desses talentos falantes com qualquer coisa de mecânico e automático que parece só precisar que se insira uma moedinha para termos o benefício de um discurso empolgado e retórico”.

A respeito dos partidos de oposição, inteligente a nota de Sérgio de Almeida Correia no Delito de Opinião sobre o debate de ontem: "Todos os votos nos partidos de oposição serão votos contra o eng.º Sócrates", dizia Paulo Portas a certo passo do debate com Jerónimo de Sousa. Disso não tenho quaisquer dúvidas. E também não será difícil dizer que os não votos dos abstencionistas, mais os  brancos e os nulos, também não serão votos a favor do eng.º Sócrates. Mais difícil é saber quantos desses votos serão apostas na governabilidade, na estabilidade do país e no interesse nacional. A demagogia tem muita força”.

Manuela Ferreira Leite, que vimos no domingo confrontar-se com Francisco Louçã, vai ganhando experiência para o confronto final com Sócrates. Para já, João Moreira Pinto critica a líder do PSD no 31 da Armada: “A estratégia da verdade de Manuela Ferreira Leite pode até colar contra Sócrates. A seriedade contra a trapacice num País de trapaceiros ganha pela hipocrisia de um povo. Mas adiante. Quando estiver frente-a-frente com outros líderes partidários, MFL terá que fazer mais que mostrar-se séria”.

Já Paulo Portas, escreve, “tem apresentado soluções e apontado a fuga ao estadismo reinante, sem meias-medidas, sem pudores”. Ao vê-lo ontem com Jerónimo de Sousa, João Gonçalves fala do líder do PCP: “Quando vejo o bonzinho Jerónimo, tenho saudades do dr. Cunhal. Na televisão”.

A Sócrates, todos reconhecem o talento para estes debates, para a rectórica, para o frente a frente. Tomás Vasques, no hoje há conquilhas, prefere citar Miguel Esteves Cardoso;: “Veja-se o debate de José Sócrates com Paulo Portas. Admiram-se; entendem-se; são inteligentes. São os dois melhores políticos que temos. O PSD está em obras e seria feio falar dele neste momento difícil”.

Com o seu apurado sentido de observação, Helena Matos vê, no Blasfémias, os debates de forma particular: “uma espécie de jogo xadrez entre os partidos que não estão na campanha para ser governo. Assim para o PCP a perder terreno para o BE é muito conveniente concluir que Ferreira Leite se saiu melhor que Louçã. Já o Bloco a sonhar em ser 3ª força política  transformou o debate Sócrates-Jerónimo num massacre para este último.  Quanto ao PP a disputar terreno ao PSD achará certamente que Manuela Ferreira Leite perdeu com Louçã e que perderá com todos”. Faltam 19 dias para as eleições.

 

publicado por PRD às 00:49
link do post | comentar

PRD

Pesquisar blog

 
Estes textos são escritos para serem “falados”, ou “lidos”, pelo que não só têm algumas marca de oralidade (evidentemente, propositadas...) como é meu hábito improvisar um pouco “em cima deles” no momento em que gravo a rubrica. Também é relevante dizer que, dado tratar-se de uma “revista de blog’s” – e uma vez que os blog’s não se preocupam com a oralidade ou com a eventual citação lida dos seus textos -, tomo a liberdade de editar minimamente os textos que selecciono. Faço-o apenas para que, em rádio, não se perca a ideia do blogger pelo facto de escrever frases longas e muito entrecortadas. Da mesma forma, não reproduzo palavrões nem frases pessoalmente ofensivas, assim como evito acusações cuja possibilidade de prova é diminuta ou inexistente. Sendo uma humilde crónica de rádio, tinha ainda assim de ter alguns princípios. São estes. Quem tiver razão de queixa, não hesite!

Textos recentes

...

Blog da Semana: As Penas ...

Outra vez o casamento ent...

Em dia

Lhasa de Sela

O ritual de Cavaco

2010

Blog do Ano 2009: O Alfai...

O ano 2009 - II

O ano 2009 - I

Arquivos

Outubro 2011

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

favorito

Leituras de sábado

Declaração de voto

Seis anos já cá cantam.

Na melhor revolução cai a...

Subscrever feeds